terça-feira, março 21, 2006

A nossa lusa língua

língua lusa minha.
não sei se sonhas ó língua! sei sim que deixas sonhar.
língua! lusa língua minha companheira é amiga, fraterna, e arauto. rejeita espaços herméticos, fechados, limitados por falsas fronteiras. veste-se literariamente de tendências universalistas.
e quando um dia transportada em caravelas foi impelida a sonhar com “novos mundos” deixou-se conquistar. conquistámo-la! é ternuramente nossa.
anichou-se nos meus sonhos. sonha comigo e alimenta o calcanhar da minha terra vermelha vestindo musas e amantes de muitos amores. na sua mágica andança pelas novas “moranças” africanas aonde se instala, ora é ponte, ora é chave para ganhar espaços dantes negados...
e ajuda o sonhar e falar e encantar e ser e ter.
lusa língua, minha ferramenta operária é o meu baú de sentimentos, enciclopédia viva de tolerância. algures na costa ocidental da áfrica, mostra-se solidária, tolerante. interpreta camões na lírica dança multirracial ritmada pelo som mediático do compasso ancestral do bombolom. coabita criolizada e criadora ao lado de mais de duas dezenas de outras línguas, ali nascidas mas feitas almas gémeas ante a iminência da construção de uma terra nova.
nas águas serenas do corubal a lusa língua sobe rio acima... e na parede alta do macaréu sonha com o meu país que um dia será nação. ali, a lusa língua sonha com noites sem insónias e sem bastões analfabetos molestando gente e abafando mentes ávidas de saber.
afinal língua, tu sonhas, interpretando sonhos que não dormem!

Por - tony tcheka

2 comentários:

Azoreano_Naufrago disse...

Um abraço dos Azores

Naty disse...

Lindo texto. Uma apologia à Língua de Camões. A língua é o elo de ligação de todos os povos que a partilham.

Um abraço de Portugal, até à Guiné-Bissau.

http://comnexo.blogspot.com
http://letrassoltas.blogspot.com